Qual percentual de vigor e germinação da semente que você compra?

Saiba por que uma portaria do Mapa estabelece germinação mínima de 80% e pureza de 99%

Uma das maiores responsabilidades das empresas sementeiras é garantir ao produtor uma semente com alto vigor e germinação. Esses itens são fatores determinantes para uma alta produtividade e resultados mais precisos no campo.  

Sementes de alta qualidade resultam em plantas vigorosas, bem desenvolvidas e que se estabelecem nas diferentes condições climáticas, com maior velocidade de emergência e de desenvolvimento.

Como ela é?

Para a semente ser considerada de alta qualidade, deve ter características fisiológicas e sanitárias específicas, tais como altas taxas de vigor, de germinação e de sanidade, bem como garantia de pureza genética.

Uma normativa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) determina a germinação mínima de 80% e pureza de 99%. Porém, cada empresa produtora de sementes possui um padrão interno acima do mínimo exigido pelo Mapa para comercialização, como explica o engenheiro agrônomo da Sementes Jotabasso, Edmar Dantas.

"Essas são as garantias mínimas, mas o produtor precisa de uma semente com germinação e vigor maiores. Algumas empresas podem adotar 80% como sendo o índice mínimo de vigor e 90% de germinação, mas hoje, são muitos os produtores que exigem um vigor maior que 80% e uma germinação maior que 90%. Por isso, a Jotabasso entrega maior taxa de vigor e de germinação para entregar ao produtor", destaca Dantas.

Vantagens desse tipo de semente

As sementes de alto vigor apresentam um desempenho superior nas lavouras, favorecendo a expressão do potencial genético de cada variedade e garantindo agilidade no desenvolvimento das plantas, mesmo em condições de estresse climático e algumas doenças. Diante dessas características, a tendência crescente dos produtores é priorizar o percentual de vigor na hora de comprar a semente.

"Isso porque o milho, por exemplo, é comercializado a 60 mil sementes por saco usado para semear um hectare. No caso da soja, dependendo da região do Brasil em que se planta, a recomendação de semeadura dela é de 250 mil plantas por hectare, como no caso da M 6410 IPRO, uma cultivar bastante semeada por exemplo no MS. Então, hoje já existe a comercialização da semente por plantabilidade, onde colocamos numa embalagem a quantidade necessária para semear um hectare, então eu tenho que garantir uma germinação e um vigor alto para aquele produtor", explica o agrônomo.

A Jotabasso também trabalha com embalagens big bag. "Ou seja, vendemos para o agricultor uma quantidade determinada que pode ser de 5 a 5,5 milhões de sementes em big bag. No caso específico mencionado acima, da cultivar de 250 mil plantas por hectare, com uma embalagem de 5 milhões de sementes o produtor pode semear 20 hectares. Então posso ter, dependendo do peso de mil sementes, embalagens de 600 kg, 700 kg ou 1.000 kg. Mas independentemente do tamanho, nós garantimos para o cliente que aqueles 5 milhões de sementes serão semeadas com precisão os 20 hectares", finaliza Dantas.