Dicas para alcançar bons resultados com a soja mesmo com plantio tardio

Com a janela ideal chegando ao fim, saiba mais sobre as cultivares que se adaptam com facilidade à semeadura tardia

A soja é uma planta sensível ao comprimento do dia, por isso a época de plantio afeta drasticamente sua produtividade. O planejamento dessa atividade é fundamental para o sucesso da lavoura. Embora a recomendação sobre o período correto varie conforme cada região do país - sobretudo por causa das chuvas e do clima -, a orientação geral aos produtores é que comecem, desde a entressafra, a programar o plantio da lavoura.

Pensando nesses detalhes, conversamos com o engenheiro agrônomo da Sementes Jotabasso, Edmar Dantas, sobre o plantio tardio de soja, ainda mais neste ano em que as chuvas têm se mostrado muito esparsas e em pouco volume.

Período ideal

Com boas perspectivas de produção e comercialização do grão com a instabilidade do mercado norte-americano e chinês, os produtores brasileiros devem ficar atentos a melhor época e condições de plantio, que está no fim. Via de regra, as cultivares plantadas mais tarde perdem seu potencial produtivo em função da temperatura muito alta no período vegetativo, ocasionando uma redução de entrenós, que afeta a produção das cultivares de soja.

Dantas explica que existe uma época ideal de semeadura, que em Mato Grosso do Sul e Mato Grosso se inicia em 15 de setembro e pode se estender até início de novembro.

“Nesse período é quando as cultivares expressam seu maior potencial produtivo pelo farto do fotoperíodo e as condições climáticas estarem mais ajustadas. Mesmo tendo uma época de semeadura recomendada e um calendário que vai até final de dezembro, os produtores sabem que conforme vai atrasando o plantio, todas as cultivares perdem produção”, destaca Dantas.

Manejo no plantio tardio

Além da perda em produtividade, também há o problema com relação ao manejo, onde há um aumento no custo de produção por incidência de pragas, como o percevejo que migra das primeiras áreas que foram semeadas, e doenças como a ferrugem, que podem se tornar um problema para as áreas plantadas mais tarde.

Mesmo a janela de plantio permitindo semeadura até final de dezembro, há um risco muito grande com o aumento no custo de produção independente da cultivar. Algumas cultivares possuem certa adaptabilidade para essa semeadura mais tarde, porém, de acordo com o agrônomo, todas elas perdem em produção com relação a melhor época de semeadura que é até novembro.

Cultivar ideal

“Mesmo sabendo que o período ideal na região do MS é o mês de outubro, nada impede que, por motivos adversos, o produtor tenha que semear fora desse período. Então ele deve verificar qual a cultivar sofre menor interferência do fotoperíodo para que possa semear. Cada empresa vai ter sua recomendação, como a Embrapa, Monsanto, Bayer, Basf, Syngenta, Brasmax, enfim, cada uma, dentro do seu portfólio, tem cultivares que podem ser utilizadas para fechamento de semeadura mais tardia”, acrescenta o agrônomo.

Dantas lembra que isso acontece em todo Brasil, e como essas empresas estão em todas as regiões produtoras de soja do país, é preciso estar alinhado com os resultados de pesquisas de cada região.

Escolha criteriosa

Todo obtentor de cultivar deve dizer o período que é tolerado semear e o período preferencial, que é onde o material vai expressar seu máximo potencial produtivo, desde que os outros fatores como manejo, clima e regime hídrico estejam de acordo com um ano normal ou de acordo com as necessidades da planta.

Dentro desse período preferencial é quando o agricultor vai ter uma maior segurança e estabilidade de produção para determinada cultivar, com a cobertura de seguro e a chance de colher uma produção maior com a otimização dos insumos.

“As obtentoras fazem os trabalhos de VCU, que é o Valor de Cultivo e Uso, onde são descritas todas as características agronômicas da cultivar como altura de planta, inserção de vagem, antecipação de florescimento, porque às vezes, quando você semeia fora da melhor época, pode ter uma intensidade de sol e temperatura muito alta, o que faz com que antecipe o período de florescimento e algumas cultivares podem ficar com o porte muito baixo”, detalha o profissional.

“Então o produtor tem que estar atento e, com cuidado, escolher qual a melhor cultivar para sua região, procurar os resultados de pesquisas junto às fontes para obter sucesso nesse plantio tardio”, finaliza o agrônomo.