Compactação do solo: como combater esse problema que afeta a produção de grãos

Com o solo compactado, as raízes da planta não atingem a água e nutrientes disponíveis em profundidade - saiba como lidar

Um solo compactado pode ser uma das causas da perda de produtividade na lavoura. Essa situação oferece maior resistência à penetração das raízes, pois o solo fica com menor capacidade de aeração e infiltração de água, recurso essencial para o bom desenvolvimento das lavouras.

A compactação não permite que a água se infiltre completamente, e com grandes volumes de chuva, uma enxurrada pode levar muitos dos nutrientes que as plantas precisam. Em períodos de estiagem, como o solo não absorveu água suficiente, as plantações sobre o solo compactado também sofrem mais, já que as raízes não atingem as camadas mais profundas onde a água fica armazenada.

Para manter a qualidade do solo, é preciso adotar boas práticas de manejo, com análise das suas condições e aplicação de fertilizantes que conservem e preservem os nutrientes na terra. Um solo mais “fofo” faz parte dos primeiros cuidados com as culturas, pois é necessário um manejo adequado durante o enraizamento inicial. Nesta etapa, que começa logo após a germinação, as raízes precisam atingir grandes profundidades e a planta apresentar um alto vigor inicial. Investir nessa fase pode trazer diversos benefícios ao produtor.

A importância do enraizamento é garantir o desenvolvimento pleno das culturas, pois quando a planta ou a semente expressa seu vigor de germinação, mas o solo dificulta o enraizamento da radícula, aumentam as chances de abortamento de plântula, implicando, às vezes, até na necessidade de replantio.

O solo descompactado absorve a água necessária para o desenvolvimento da lavoura, já que é um dos principais componentes para a sobrevivência da planta, uma vez que o vegetal precisa dela para que seu metabolismo ocorra e também para que os nutrientes sejam absorvidos. Com maior descompactação do solo e o consequente enraizamento, as plantas acessam água e nutrientes em maior profundidade.

Causas da compactação

Tendo em vista que alguns tipos de solos são mais vulneráveis a compactação, alguns fatores podem agravar a situação. Como exemplo, o tráfego de tratores e máquinas agrícolas pesadas, pisoteio do gado sobre o campo ou do manejo do solo em condições inadequadas, produção insuficiente de palha e ausência de rotação de culturas efetiva nos sistemas de produção.

Métodos de controle

O ideal é evitar que a compactação aconteça. Isso só é possível com um sistema de rotação de culturas e com o controle de tráfego de máquinas pesadas na área, além do uso de fertilizantes minerais que podem ajudar na descompactação e porosidade do solo.

De acordo com o engenheiro agrônomo Winícius Menegaz, da Sementes Jotabasso, outras técnicas já consolidadas como sustentáveis, como o cultivo de plantas de cobertura e o uso da palhada, são recursos que auxiliam muito na diminuição da compactação do solo.

"Na agricultura moderna, por exemplo, não se usa mais (máquinas com) grade para combater a compactação, existem esses outros recursos equilibrados que apresentam mais vantagens", afirma o agrônomo.

De acordo com a Embrapa Solos, de forma geral, se a compactação não é tão drástica, é possível adotar um sistema de produção com gramíneas como braquiárias, que fornecem um aporte de fitomassa para que a melhor condição estrutural seja alcançada ao longo do tempo.