Tudo que você precisa saber sobre o descarte correto de embalagens de insumos

Produtor brasileiro é referência mundial em logística reversa de embalagens vazias de defensivos agrícolas

A preocupação com o meio ambiente e os recursos naturais é crescente entre produtores rurais brasileiros, inclusive quando o assunto é descarte de embalagens de defensivos agrícolas. No Brasil, por ser o maior consumidor de fertilizantes do mundo, essa responsabilidade acaba crescendo junto com setor agro a fim de evitar a poluição do solo, do ar e da água.

A medida também é lei (Lei 9.974/2000 e Decreto 4.074/2002), e afirma que as embalagens de agroquímicos, após o uso dos produtos, devem ser descartadas no prazo de um ano a partir da data da compra.

Porém, o descarte deve ser um trabalho conjunto, pois se não cumprido dentro do prazo determinado em lei ou executado de forma incorreta, pode implicar em multa para o agricultor, o revendedor e até o fabricante do agroquímico, pois configura crime ambiental.

Como funciona

Na Sementes Jotabasso, que prioriza a produção sustentável, a prática do descarte correto de embalagens é levada muito a sério. “Temos um controle rígido nesse aspecto. Onde 100% das embalagens de defensivos que utilizamos nas nossas propriedades têm como destino o posto do inpEV (Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias)”, afirma o gerente administrativo da Jotabasso em Rondonópolis, Tages Martinelli. As embalagens ficam em local específico, que possui piso impermeável e é devidamente identificado para este fim.

Assim como o destino correto das embalagens, a Jotabasso também recicla todo óleo queimado gerado pelas máquinas e desenvolve ações de cuidados com o solo, sendo o plantio direto uma das principais ferramentas.

O gerente da Jotabasso destaca que todas essas ações, que tem como foco a sustentabilidade dos recursos naturais, fazem da empresa uma referência em sustentabilidade no Centro-Oeste do país. “Essas práticas já nos garantiram certificações internacionais de sustentabilidade socioambiental”, aponta Tages.

O Brasil é referência

O trabalho realizado pelo inpEV, que tem tornando o Brasil uma referência mundial em logística reversa de embalagens vazias de defensivos agrícolas, também mereceu destaque do gerente da Jotabasso para o perfeito funcionamento de toda cadeia.

“Por ação do Sistema Campo Limpo, cerca de 94% das embalagens plásticas primárias (que entram em contato direto com o produto) e 80% do total das embalagens de produtos comercializados anualmente recebem a correta destinação pós-consumo. Nenhum país do mundo registra uma cobertura tão ampla. Na França, que tem o segundo melhor desempenho, a destinação não passa de 77%; seguida do Canadá, com 73%. Os Estados Unidos são o nono lugar no ranking, com 33%”, lembrou Tages.

A Jotabasso foi incentivadora na criação das centrais de recebimento de embalagem e, desde a criação dessas centrais, todas as embalagens utilizadas nas unidades de produção da empresa foram entregues para o processo de reciclagem.

Como fazer o descarte correto

Existem alguns passos que devem ser seguidos para o descarte correto das embalagens, são eles:

1- Lavagem: é necessário esvaziar completamente as embalagens no tanque do pulverizador. Em seguida, adicionar água limpa em até um quarto do volume do frasco, tampar e agitar por 30 segundos. Esta água também deve ser jogada no tanque do pulverizador. Repita a operação três vezes. Esse processo é chamado de tríplice lavagem;

2 - Após passarem pelo processo da tríplice lavagem, todas as embalagens devem ser inutilizadas (danificadas para que não sejam usadas como recipiente novamente). Para isso, corte o fundo da embalagem ou faça furos no fundo para ter a certeza de que ela não terá mais utilidade;

3 - Armazene as embalagens lavadas e inutilizados em um local adequado e verifique com o revendedor do produto se ele pode recolher as embalagens, ou se você deve levá-las até um local indicado, geralmente um posto de recebimento ou na própria loja.

Mais informações sobre o tema podem ser conferidas na página do Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias: http://www.inpev.org.br/index