Sorgo vira sensação na Show Safra em Lucas do Rio Verde

Estande da Jotabasso recebeu produtores interessados em conhecer novas tecnologias de alta produtividade para o sorgo

Uma cultura promissora e mais resistente à intempéries climáticas vem ganhando espaço nas lavouras do Centro-Oeste do país e se transformando na grande sensação da segunda safra. A demanda pelo grão do sorgo, seja para a alimentação animal ou para a produção de etanol, voltou a despertar o interesse dos produtores quando o assunto é uma cultura alternativa ao milho.

Mas para transformar o cultivo do sorgo em uma atividade realmente rentável, são necessárias tecnologias que garantam a produtividade do grão. Foram justamente essas novidades em sementes de sorgo que a Jotabasso levou para a Show Safra, realizada em Lucas do Rio Verde (MT), de 26 a 29 de março. A grande variedade de novos híbridos de sorgo apresentados durante o evento despertou o interesse de muitos produtores que visitaram o estande da Jotabasso, assim como os vistosos pés de sorgo expostos na vitrine tecnológica.

Alta procura pelo sorgo

“Recebemos muitos produtores em busca de informação, principalmente sobre os nossos produtos lançados (JB 1326 e JB 1330), que já estão sendo plantados na região, e também sobre os demais produtos que hoje estão em fase de experimentos”, afirma o gerente comercial da Jotabasso, Jefferson Aroni.

Aroni lembra que a cultura do sorgo já vem sendo plantada há algum tempo no Mato Grosso, mas a demanda pelo grão, e principalmente o lançamento de sementes com alto potencial produtivo, têm impulsionando o interesse dos produtores.

“Ficamos impressionados positivamente com o grande interesse do produtor. Passamos por um período de retração no plantio, mas com o lançamento de novos materiais com potencial maior de produção, uma demanda crescente o sorgo virou mais uma ótima opção para o produtor”, acrescenta.

Vantagens do sorgo

Outros fatores também contribuem para o crescente interesse pelo cultivo do sorgo como, por exemplo, a instabilidade climática, uma vez que esse grão é mais resistente às secas. Além de que seu custo de produção é inferior ao do milho e seu valor de mercado pode alcançar 80% o valor do milho.

Os especialistas destacam que como a cultura do sorgo normalmente entra depois da cultura do milho, o produtor que fizer o fechamento do plantio de milho numa época arriscada, com menos chuva, tem a opção de não plantar o milho e entrar com o sorgo. “Isso porque a necessidade hídrica do sorgo é um pouco menor que a do milho, e a produtividade é semelhante à do milho, com um custo menor. O sorgo uma excelente opção para produção de grãos e forragem em todas as situações em que o déficit hídrico oferece maior risco para a cultura”, detalha Aroni. 

Devido à sua maior produtividade em condições adversas, principalmente deficiência hídrica e menor fertilidade do solo, a cultura do sorgo poderia ser mais frequente. Além de que, é importante lembrar que o sorgo não concorre com milho, mas entra como complemento para a safrinha. O gerente comercial destaca ainda que o produtor pode entrar com a lavoura de milho até o dia 20, 22 de fevereiro e depois se estender até início de março plantando sorgo.

Jotabasso garante a compra do grão

Mesmo que as indústrias de rações ainda sejam as principais responsáveis pelo crescimento do volume demandando de sorgo no país, a utilização do sorgo em outros setores também favorece o interesse pelo grão. Em algumas usinas do país, alguns híbridos de sorgo vêm sendo utilizados para a produção de energia e etanol.

Confiante na expansão do cultivo e na demanda pelo grão em todo país, a Jotabasso Sementes abriu um canal de comercialização para sorgo no Centro-Oeste brasileiro oferecendo ao produtor mais uma opção para vender sua produção.

“Todo produtor de sorgo da região Centro-Oeste que quiser pode negociar sua produção com a Jotabasso. Podemos negociar a compra do grão de sorgo para retirar no armazém do produtor, na fazenda dele. Ou ainda, se ele preferir, indicar compradores na região onde está armazenado grão”, finaliza o diretor comercial da Jotabasso.